Técnicas para aumentar o pênis: você realmente trabalha? -Tua Saúde

Técnicas para aumentar o pênis: realmente funcionam?   Tua Saúde

Apesar da técnica de aprimoramento do pênis que está sendo pesquisada e praticada, principalmente não recomendada pelos urologistas, porque eles não possuem evidência científica e podem resultar em consequências humanas, como dor, danos nos nervos, formação de tecidos, danos nos tecidos e, em alguns casos, problemas de ereção.

Por outro lado, no caso do micropenile, que é uma condição rara em que um homem tem um pênis muito menor do que a média, o urologista pode, após avaliação, indicar Realizar a cirurgia para aumentar o pênis, mas esta operação é uma delicadeza e pode estar associada a algum riscos, exceto que

Por causa da falta de justificativa das técnicas existentes no momento presente para aumentar o tamanho do pênis, o conselho mais recomendado com urologista em caso de insatisfação com o tamanho da genitália antes de iniciar qualquer tratamento ou realização de técnicas existentes.

Técnicas técnicas para aumentar o pênis são realizadas principalmente por adolescentes que acreditam ter resultados, apesar do fato de que o aumento do pênis se deve ao normal processo de crescimento, não necessariamente relacionado com os técnicos. Além disso, é importante que antes de qualquer técnica ocorra, o urologista é consultado para que a situação possa ser avaliada e pode haver a indicação da implementação de algum tipo de tratamento, como o uso de um hormônio testosterona, por exemplo, que pode estimular o crescimento do pênis.

As técnicas comumente usadas para aumentar o tamanho do pênis são:

1. Exercícios de Jelqqing

exercício ou técnica Jelqing é considerada uma maneira natural de aumentar o pênis, porque não é contraindicações ou custos relacionados, e é baseada no fato de que aumenta a circulação sanguíneos em um órgão sexual que poderia esticar e igno o pênis.

Embora seja considerado seguro, a técnica Jelqing não tem justificativa científica, e por isso não é recomendada pelos médicos. Além disso, se os movimentos errados, agressivos forem realizados, ou se forem feitos muito comumente, pode haver dor, irritação, lesão e danos no tecido do pênis.

2. Dispositivos de alongamento

Os dispositivos de alongamento geralmente estão presos na base do pênis e seu objetivo é exercer pressão sobre o corpo do pênis, a fim de suportar sua extensão. Acredita-se que o uso contínuo desse tipo de instrumento é capaz de suportar o aumento do pênis durante a ereção.

Atualmente existem vários estudos que sugerem os efeitos positivos dos aparelhos de alongamento para aumentar o pênis, e por isso não são recomendados por urologistas. Além disso, o uso desse tipo de aparato, exceto que não é confortável, pode criar excesso de força sobre o pênis e levar a lesões, danos a nervos e formação de coágulos.

3. Bombas de vácuo

As bombas de vácuo são geralmente indicadas por urologistas no tratamento da disfunção erétil, porque elas suportam aumentar os níveis sanguíneos na penise durante a ereção. Por isso, o uso de uma bomba deve ser feito de acordo com a assessoria do médico.

No caso de uso de bombas de vácuo para aumentar o pênis não há evidência científica, exceto que o efeito é temporário, apenas durante a ereção, não indicado pelo médico, ou seja, porque se alterações, o uso frequente de bombas de vácuo pode resultar em danos aos tecidos do pênis e levar a problemas de ereção.

4. O uso de pílulas

Atualmente existem alguns tablets e cremes que se acredita conter vitaminas e hormônios que ajudam a aumentar o tamanho do pênis devido ao fato de que ele aumenta a quantidade de sangue no pênis e promove ereções mais enaltecidas. No entanto, a função desses medicamentos é promover uma ereção, em vez de aumentar o tamanho e o volume do pênis.

Além disso, algumas pílulas podem trazer danos à saúde humana, além de serem capazes de se comunicar com outros medicamentos que uma pessoa pode estar usando.

5. O uso de anéis

A ideia de usar anéis no pênis deve-se ao aumento da quantidade de sangue no corpo do pênis durante a ereção, o que poderia causar um aumento temporário de efeito. No entanto, essa técnica não tem evidência científica e também é considerada perigosa, isso porque o anel é muito apertado, ou se ele permanece no pênis por muito tempo pode reduzir o fluxo de sangue da região e trazer complicações para a pessoa.

6. O preenchimento do pênis

O enchimento do pênis, também conhecido como bioplastia peniana, é uma técnica recente que diz ser eficaz para aumentar o perímetro e, em alguns casos, o comprimento do pênis é necessário para esta injeção de ácido hialurônico sob a pele do pênis.

Apesar de ser um procedimento simples, não é recomendado pela empresa brasileira de cirurgia plástica devido aos riscos associados, isto porque, dependendo da quantidade e da qualidade da substância utilizada pode haver uma resposta inflamatória grave, um aumento de infecções de risco e de infeção (

risco associados ao procedimento, também são necessários mais estudos para que o procedimento seja normalizado e para que seus efeitos a longo prazo sejam demonstrados, bem como o tempo entre o preenchimento e a criação dos resultados.

7. Pênis Ampliação Cirurgia

A cirurgia para aumentar o pênis é a última opção que deve ser considerada urologista para aumentar o pênis devido aos riscos associados ao procedimento, como o aumento do risco de infecção, a presença de cicatrizes e deformidade que podem terminar impedindo a ereção. As mudanças que podem ser vistas após a cirurgia geralmente são associadas à aspiração da gordura que estava em excesso no local, o que faz com que o pênis apareça maior, mas de fato tem o mesmo tamanho.

Nesse caso, a cirurgia para aumentar não é dada em situações em que o homem representa uma insatisfação com o tamanho, pois tem muitos riscos e não é considerado eficaz, ele é levado em conta para micropenile quando outros tratamentos não foram efetivados.

Veja

Author: SILVA RICARDO