Design de Moda: descubra a profissão que vai muito além das passarelas |

Design de Moda: descubra a profissão que vai muito além das passarelas

imagem14-06-2020-15-06-52

(Unspash/Reprodução)

Se pensarmos em termos funcionais, um estilista não se distania tanto de um ou de um designer de produto. Afinal, cria produtos que precisam ser agradáveis e funcionais. Mas por que, então, o universo parece muito mais incomportável e cercado de clichês (positivos ou não) para tanta gente? 

Olá, pouquíssimas informações disponíveis sobre a profissão e a baixa oferta de cursos na área-com pouca mão, é claro, da ficção (que nunca viu The Devil Veste “?)-pode nos dar algumas pistas de como essa profissão que está em todos os lugares parece, aos olhos da distância, distante

A Moda está nas grandes paradas, está no trabalho de famosos como Chanel, Lagerfeld e McQueen, em alta couture e no elegante croisis. Mas também está em todos os processos da indústria têxtil que adquiam roupas “comuns” para o ” ordinário É em pintura de tecido, produção de fios e processos manuais como você está olhando e bordado.

De uma forma ou de outra, é preciso estudar todas essas opções e traçar objetivos antes de mergulhar de vez em quando: se foram os clichês que te levaram a se interessar pela profissão, certifique-se de que conhece o curso, o mercado de trabalho e as perspectivas de não se frustrar. Mas se eu for justamente os estereótipos que desgostem de você, descubra, neste texto, como a indústria da moda tem muito mais a oferecer!

Veja também

    Quanto talento?

    Como a maioria das profissões com um amendoim no design, o despertar correto tem medo em quem não tem muitas habilidades manuais e artísticas lá. Mas longe do que se imagina, não é uma questão de “talento” e nem é preciso entrar em um curso de moda sabendo desenhar ou costurar perfeitamente. Ter alguma noção ou contato prévio com essas práticas (assim como com alguns nomes de domínio e expressões) ajudam, mas não é esperado que o aluno já tenha habilidades profissionais. 

    A professora do grupo e estilista Cristiane Bertouci, por exemplo, conta que hoje, 18 anos após a graduação, é que eles de fato estão aprendendo a desenhar bem. Então, faz questão de destacar que, ao contrário do senso comum, a moda e até mesmo o processo criativo não se resume apenas a desenhar. “Às vezes, a criação é pegar um fio, misturá-lo com outro e quando você o vê cria-lo sem levar um papel em mãos”, conta Cristina é graduada em Moda e Estilo e proposta em seu mestrado pela Universidade de São Paulo (USP) a (como peças guardadas que não usamos mais). 

    Apesar do fato de ela já ter alguma experiência com o filme e modelagem (transformação a partir de um desenho no molde), ela estava em sua graduação pela Universidade de Clory do Sul (UCS), RS, que Cristina poderia aprofundar esse conhecimento. Em outras disciplinas, importa que ele também tenha aprendido sobre tendências e até mesmo marketing, mas ele estava em laboratórios e muitas vezes fora das horas de aula em que encontrou espaço para experimentar e criar. “A Moda é, se você tem uma máquina de costura em casa, basta comprar um tecido”, ele conta Além, é claro, dos palcos nas mais diversas áreas: “tem muitas áreas que são possíveis de colocar na prática!”.

    Veja também

      Fashion and Style,, Textiles and Fashion … qual curso escolher?

      Dependendo da universidade ou do curso de curso (celibato ou tecnólogo) você pode encontrar o curso de Moda com a nomenclatura mais diversificada Mas, afinal, faz isso ou dá tudo em o mesmo?

      Tells que todos esses cursos permitem que você trabalhe na área do Modei, mas dependendo da grade curricular, tempo do curso e outros fatores que eu possa direcionar e me preparar melhor para alguns setores. O curso de Textiles e Moda da USP, por exemplo, está se preparando não apenas para o trabalho criativo e de design, mas também condores em disciplinas de tecnologia e gestão. Por outro lado, não tem um foco tão grande em técnicas manuais como o curso de Moda e Estilo de Estilo de Moda, onde Cristina estudou

      O que é comum entre eles é que é tratado com duração média de quatro anos, com duração média de quatro anos. Já os tecnólogos-geralmente três ani-geralmente são mais práticos e baseiam-se em oficinas de desenvolvimento estilístico, coleções de técnicas de desenvolvimento, modelagem e corte e costura, entre outras. 

      O importante, portanto, é estudar cuidadosamente a grade curricular de diferentes universidades e, se possível, escolher a que melhor se adequa aos seus objetivos. profissional. Você não sabe muito bem o que quer Calm down, chegamos lá!

      Veja também

        Mercado de Trabalho

        Não só a estilística está acontecendo no mercado de moda. Algumas outras oportunidades conhecidas são, por exemplo, para os profissionais pessoais, , funcionários para fornecer conselhos de moda a outras pessoas. Na própria indústria têxtil, quem enrolou a Moda pode trabalhar com a gestão de várias etapas, desde a pintura dos tecidos até o marketing. Também, especialistas em marketing e branding estão cada vez mais sendo questionados e estes são conhecimentos essenciais se você está planejando eventualmente criar sua própria marca. 

        Além disso, nada impede você de seguir em frente e explorar nichos menos conhecidos, como a moda sustentável ou tecnológica. Um exemplo é o projeto Jacquard, do Google, que incentiva a criação de roupas com componentes eletrônicos capazes de tocar música ou atender chamadas telefônicas. 

        Áreas relacionadas à educação e pesquisa, de acordo com Cristina, também oferecem boas oportunidades. ” Como um Moda ainda é um pouco explorado em publicações na área acadêmica, está aberto para nós pesquisar, encontrar a Sua dica de ouro, enfim, é estar preparado para um mercado dinâmico e em constante reinvenção!

        Author: SILVA RICARDO